Nunca se arrependa de ser uma boa pessoa

Algo sempre acontece contra você, os bons gestos nem sempre são acompanhados de reconhecimento. E não é só o reconhecimento, muitas vezes você percebeu que os seus gestos não foram nem mesmo percebidos pelo outro.

Quando o nosso gesto de bondade não é percebido pelas pessoas, a frustração e a impotência machucam o nosso corpo e os nossos sentimentos. Especialmente quando essa situação se mantém ao longo do tempo e acontece com as pessoas que mais amamos.

No entanto, as pessoas que gostam de cuidar e fazer o bem, não devem perder esse instinto de “amor” e cuidado com o próximo, somente porque não é percebido pelos demais.

A “teoria do mundo justo” torna explícito um viés cognitivo que todos nós usamos de uma forma ou outra, para processar a informação.

Muitas vezes nós esperamos receber a mesma atenção que damos aos outros, como se fosse uma operação matemática exata.

Não se arrependa de ser uma boa pessoa

Fonte: Freepick

O mundo não é justo e nos surpreende, com o seu equilíbrio de forças e a escala de prioridades dos seus habitantes.

Alguns deles, colocam o seu interesse pessoal acima da justiça, enquanto outros, demonstram uma sensibilidade especial com os erros e grosseria das pessoas.

Na verdade, muitas vezes acreditamos que as pessoas boas serão recompensadas ​​e as más, punidas. Mas não existe essa tal lei na vida real.

A vida nos surpreende com a sua casualidade e aleatoriedade. Esta ideia errônea, gera muitas expectativas que não correspondem à realidade. É como se ficássemos imaginando o que vai nos acontecer.

 A bondade sempre retorna

 

As boas pessoas trazem luz e brilho para os relacionamentos. Nunca se arrependa de ser bondoso, porque algumas pessoas não percebem e não apreciam a sua bondade, porém, sempre existirão pessoas que vão apreciar os seus gestos.

O mais importante, como você pode imaginar, não é o que os outros reconhecem que somos, mas que você se sinta confortável com o seu próprio modo de amar a vida e as pessoas.

Ser uma boa pessoa é recolher as flechas que lançamos ao mundo com o nosso delicado arco. As flechas lançadas, sempre revertem em estados de paz e tranquilidade.

Na medida em que o que fazemos é “de coração” e sem esperar o reconhecimento dos outros, conseguiremos nos sentir bem com a nossa bondade e não nos arrependeremos de nada.

Acredite que ela tem o poder de nos reconfortar, inclusive na parte mais profunda do nosso ser.

Você verá que os sofrimentos dos homens são o resultado das suas escolhas; procuram o bem longe deles, quando na realidade ele está dentro do seu coração “, Pitágoras de Samos.

Fonte: O Segredo

Notícias mais lidas

Leia Também