Fascite plantar – Sintomas, causas e tratamentos

A fascite plantar é quando há muita tensão ou uso excessivo de um tecido chamado fáscia plantar, que fica na sola do pé e que conecta o calcâneo (osso que forma o calcanhar), aos dedos.

Alguns fatores de risco são importantes para serem analisados, pois aumentam as chances de tensão ou uso excessivo do tecido plantar do pé:

Alguns exercícios físicos, podem colocar estresse excessivo sobre o calcanhar e a fáscia plantar, como longas corridas, danças, como Ballet, por exemplo.

fascite plantar

Fonte: Freepik

A fascite plantar é mais comum em pessoas na faixa etária entre 40 a 60 anos.

A obesidade é um fator que pode provocar as dores, pois os músculos e ossos das pernas e pés ficam sobrecarregados.

O pé chato, pé calvo ou qualquer outro problema nos pés facilitam a ocorrência de fascite plantar.

Algumas profissões exigem muito dos pés, como por exemplo, para os atendentes, operários, professores e outras profissões que exigem que o funcionário fique muitas horas em pé.

Tensão sobre o tendão de aquiles (que liga os músculos da panturrilha ao tornozelo).

Calçados inadequados, que possuem solas muito macias ou que não oferecem apoio suficiente para a curvatura dos pés.

As queixas mais comuns são dor, rigidez e queimação na sola do pé. A dor pode ser aguda ou crônica e ela costuma ser pior ao subir escadas, após atividades físicas intensas, ao ficar em pé por muito tempo e pela manhã, ao dar os primeiros passos.

A dor pode se desenvolver lentamente com o passar do tempo, mas também pode ocorrer repentinamente após atividade intensa.

É muito importante consultar um médico, ao sentir qualquer dor intensa ou contínua, na região da sola do pé, para que o médico realize um histórico do paciente, realizando, assim, o diagnóstico correto.

Geralmente, testes adicionais para diagnosticar fascite plantar não são necessários, mas raios-X e outros exames de imagem podem ajudar a descartar outros problemas.

Tratamento de Fascite Plantar

O tratamento para fascite plantar é geralmente feito à base de medicamentos e fisioterapia.

Os medicamentos recomendados pelos médicos são analgésicos para reduzir a dor e anti-inflamatórios para diminuir a inflamação. Exercícios de alongamento, repouso e o uso de sapatos mais confortáveis são outras recomendações que os médicos costumam fazer.

Um fisioterapeuta pode, ainda, indicar exercícios específicos para ajudar na recuperação, fortalecendo os músculos danificados.

Há casos ainda em que cirurgia pode ser necessária, embora seja raro. A cirurgia só é indicada, quando nenhum outro meio terapêutico mostrou resultado.

Algumas medidas caseiras podem ajudar na recuperação do tratamento, como:

Tentar usar uma proteção no tornozelo, almofadas de feltro na região do tornozelo ou palmilhas ortopédicas;

Aplicar gelo na região dolorida. Pode-se repetir o procedimento ao menos 2 vezes ao dia, por 10 a 15 minutos, diminuindo a frequência, conforme o passar dos dias;

Usar talas noturnas para alongar a fáscia plantar lesionada.

Ignorar a fascite plantar pode resultar em dor crônica no calcanhar, que poderá causar ainda mais dificuldades à rotina e a atividades regulares do dia a dia. Se você tentar evitar a dor causada pela fascite plantar mudando a maneira de caminhar, por exemplo, você poderá causar problemas não só ao pé, mas também aos joelhos, quadril e até mesmo na coluna.

Fascite Plantar tem cura?

Tratamentos não cirúrgicos quase sempre reduzem a dor. O tratamento pode durar de várias semanas a até dois anos ou, ainda, até que os sintomas desapareçam. Depende muito do caso. A maioria dos pacientes apresenta melhora em um período médio de nove meses. Algumas pessoas necessitam de cirurgia para aliviar a dor, mas esses casos são bem mais raros.

Como prevenir

Mantenha um peso saudável, pois quilos em excesso aumentam a pressão sobre a sola do pé, podendo levar a ocorrência de fascite plantar.

Se você pratica esportes que exijam muito dos pés, procure fazer os alongamentos corretamente antes e após os exercícios.

Mantenha boa flexibilidade na área do tornozelo, do tendão de Aquiles e nos músculos da panturrilha. Isso pode ajudar a evitar a fascite plantar.

Fonte: Minha Vida

Notícias mais lidas

Leia Também