Como recomeçar a vida após uma separação
Compartilhe

Como recomeçar a vida após uma separação

Atualizado em 24/11/2012



Acabar uma relação implica sempre uma revolução interior. Saiba quais os passos fundamentais para começar outra vez.

Como recomeçar a vida após uma separação
Foto: Divulgação
Terminar uma relação não é nada fácil. Parece que o mundo vai desabar. Que a dor não é suportável. Mas, a boa notícia é que tudo passa, mesmo as dores que parecem insuportáveis.

No entanto, é inevitável passar por determinadas fases. Desde raiva, negação, depressão e inquietação, as sensações vão e voltam… Para a maior parte dos casais que se separam, a mágoa não é apenas perder a pessoa que se ama (ou amou), mas tudo o que inclui uma vida a dois: divisão dos filhos, amigos, segurança financeira, entre outras coisas.

Segundo os especialistas em comportamento, a separação é vivida, para muitos, como um momento de luto, mais difícil ainda para casais com filhos.

É difícil quebrar o vínculo com alguém que foi tão próximo. Porém, para a separação ser menos dramática, é recomendável que as lembranças do antigo relacionamento sejam reduzidas. É desejável que os objetos, fotografias e outras coisas do ‘ex’ fiquem o mais longe possível do olhar e do contato diário. Quanto menos vínculos com o passado, melhor.

Habitualmente, quem toma a iniciativa da separação – por vontade própria, sem que a descoberta de uma traição o empurre para isso – poderá sair em vantagem porque escolheu o momento certo para colocar um fim na relação. Contudo, na maioria das vezes, quem toma a decisão também sofre, e nem por isso menos do que a “vítima”. Essa, porém, necessita sentir a perda, pois só assim será capaz de superá-la de forma otimista, recuperando a sua própria individualidade e gosto pela vida.

O luto pela “morte” de uma relação pode durar de seis meses a um ano. Em casos mais difíceis, pode durar dois anos. Nos primeiros meses, o choro, a raiva, a tristeza, a culpa e a frustração fazem parte desse difícil período.

Novas experiências

Regra geral, é difícil estabelecer novas relações. Muitas pessoas ficam demasiado agarradas ao trauma e à decepção, tirando dos seus planos a ideia de voltar a casar. É essencial controlar a ansiedade causada pela solidão. É preciso ter paciência para não embarcar logo numa relação sem saber qual o motivo pelo qual a outra falhou. A solução passa mais por acreditar em si mesmo e levar a vida para a frente, agora com mais sabedoria e experiência.

O que pode ajudar a recomeçar

1. Liberte-se das lembranças: quanto menos fotografias, presentes e pertences do outro tiver, melhor e mais suave será a ruptura. Relacionar-se com objetos do passado irá fazer você relembrar cheiros, toques e sonhos. Depois da separação, as lembranças não precisam ser necessariamente apagadas, mas devem ser mantidas longe -- pelo menos por um bom tempo.

2. Avalie os pontos frágeis da relação: colocar a verdade em cima da mesa, procurando aquilo que poderia ter funcionado melhor no relacionamento pode ajudar a aceitar o fim. Essa análise pode servir para colocar um ponto final, e não remoer mágoas e apontar culpas.

3. Aproveite o lado bom da liberdade: após uma separação, o ideal é aproveitar esse novo tempo e liberdade para conhecer novas pessoas, realizar antigos projetos e sonhos ou simplesmente ficar na sua. É o momento ideal para recuperar a individualidade antes de entrar numa relação nova.

4. O ideal é não começar logo uma nova relação: a máxima de curar um amor perdido com outro novo nem sempre faz sentido. O mais provável é que o estado de fragilidade típico desta altura faça com que a pessoa se magoe facilmente e estabeleça relações de carência e dependência.

5. Não se culpe: a culpa pertence ao passado. Um relacionamento é feito por duas pessoas que devem se dedicar de forma igual ao relacionamento. Por isso, não se deixe levar pela amargura e pelas perguntas que nem sempre têm resposta; “onde foi que errei” ou “o que devo mudar”…

Ajuda pensar que provavelmente a sua relação deu certo, só não foi eterna.

Fonte: Idade Maior

Mais notícias: